A Pirâmide do CrossFit

       Todo mundo sabe o quanto o esporte é importante no auxílio ao emagrecimento. No entanto, o esporte sozinho não traz resultados ou traz resultados pequenos.

      Antes de começar a falar sobre a pirâmide do CrossFit, vou relembrar um pouco a minha história (que você pode ler melhor neste post aqui). Entrei no CrossFit em 2015 e me apaixonei pelo esporte. Ele por si só foi suficiente para que eu mantivesse a prática regular do esporte. Em 2016 estava um pouco frustrada, treinava regularmente e não sentia evolução nos treinos. Foi quando notei que precisava de uma dedicação além do esporte, eu precisava do auxílio nutricional. Eu precisava estar mais leve para movimentos ginásticos e para ser mais ágil. Foi aí que minha história com o emagrecimento e meu primeiro contato com a nutrição aconteceram (Leia os post como tudo começou e vou estudar nutrição para entender melhor sobre).

      Pois bem, adivinha só qual é a base da pirâmide do CrossFit? Ela mesma, a minha queridinha, a NUTRIÇÃO.

      Ao contrário do que muitos pensam ou pregam, não é o LPO, não é o metabólico, não é nada disso, é a NUTRIÇÂO!

    Inclusive o criador do CrossFit, Greg Glassman, é reconhecido por travar “lutas” contra grandes empresas como a Coca Cola.

    A alimentação vai influenciar diretamente no seu rendimento e resultados. Mas mais do que isso, a alimentação, a nutrição, vai salvar sua vida. Quem aqui nunca escutou o famoso discurso do Greg Glassman:

“Não é sobre enviar atletas para as competições, e sim sobre salvar vidas. Cada Box de CrossFit existe como um barco salva-vidas contra um tsunami de doenças crônicas que está vindo em nossas direções”

    A CrossFit defende é a Dieta da Zona, hoje não vamos detalhá-la, vamos falar seu ponto principal. O que a CrossFit propaga em termos de se tornar mais saudável e evitar o surgimento de doenças crônicas é:

– Coma carnes e verduras, castanhas e sementes, algumas frutas, pouco amido e nada de açúcar.

– Não coma alimentos ultraprocessados ou processados. Como saber quais são?

> Se não é algo que poderia ter saído da horta ou fazenda e consumi-los uma hora depois, não é comida.

> Faça as compras no perímetro da mercearia e não nos corredores (você vai reparar que é no perímetro onde normalmente ficam verduras, legumes e frutas);

> Se tem um rótulo de comida, não é comida. Você não vê rótulos nos frangos. E nem nos tomates. Mas está nas batatas fritas e biscoitos;

> Se não for perecível, se disser “consumir até 2019”, não é comida.

    Se você lê o blog vai saber que eu concordo com essa base de orientação. E o mais incrível é saber que eles realmente praticam o que eles pregam. E aqui vai mais um relato pessoal: Fui voluntária no CrossFit Latin America Regionals, que aconteceu em maio desse ano (2018) e para todos os voluntários tinha uma área de restaurante, com alimentação adequada e prescrita por nutricionista.

    Se você leu até aqui, muito obrigada pelo seu interesse, acompanhe mais no instagram e deixe seu comentário se gostou ou sobre o que você gostaria de ler aqui no blog.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s