Como começar

O primeiro passo para a mudança de hábitos pode ser o mais difícil. Pensando nisso, reuni alguns comportamentos que o ajudarão a virar a chave.
1º – INSISTA! O inicio vai ser difícil mesmo. Alguns estudos dizem que para mudar um hábito precisamos de pelo menos 21 dias. Então, insista! Seja no novo plano alimentar, seja no exercício físico. Comece e insista por pelo menos esse período, até que sua mente não faça mais um esforço tremendo para aquela atividade.
2º – ORGANIZAÇÃO. A organização vai te ajudar a ter clareza nos seus horários e compromissos e dessa forma não faltar sua atividade física e sair menos do seu plano alimentar.
E aqui vão duas dicas dentro do tópico organização, tenha um calendário semanal. Nele você vai anotar seus compromissos e depois os horários do seu treino. Assim, terá menos chances de deixar a rotina e seus hábitos antigos te levarem e o sentimento de frustração tomar conta.
E sabe aquela idéia de congelar comida, que todo mundo fala? Então, pois é. Ela funciona. Faça isso. Tire um dia da semana para fazer uns congelados e preparar marmitas.
3º- ENVOLVA FAMÍLIA E AMIGOS. Em grupo, fica mais fácil. Faça-os entender que é em prol de um bem maior e de sua saúde, e que você quer isso para eles também.
4º- DURMA MAIS. Durma mais cedo e mais tempo. Você vai perceber que estar mais descansado, além de ser ótimo para o seu fisiológico, vai também vai ser excelente para o seu mental. Vai te deixar mais feliz, menos estressado e aquele sentimento de jogar tudo para o alto não vai existir.
5º – ROTINA MAIS ATIVA. Vivemos em um mundo onde quase não nos movimentamos. Então tente andar mais, usar mais as escadas, e ter momentos de lazer em movimento.
Por fim, vá devagar. Comece aos poucos. Trace metas alcançáveis. Insista, se organize, envolva a família, descanse e se movimente. Mas não exija de você, mais do que você pode dar.
Tem dificuldade de treinar todos os dias? Se organize para treinar três vezes na semana.
Tem dificuldade de fazer marmitas para a semana toda? Comece fazendo para dois dias.
Não consegue tirar o açúcar do café? Comece diminuindo a quantidade.
Não se martirize e comemore cada pequena vitória. Uma pequena vitória, favorecem outras pequenas vitórias, até que elas se tornam grandes. Um passo de cada vez e devagar e sempre.

Gostou das dicas? Te aconselho a ler outros posts aqui no blog: Comece pelo básico, dicas para manter o foco e sobre ler rótulos. LEIA!!!! Se interesse, pesquise e tire você mesmo suas conclusões, se ENVOLVA.

Posto mais dicas do meu dia a dia no instagram, me segue por lá @leticia.mcf.

E se você gostou ou quer ler sobre outro assunto, deixe seu comentário!

Anúncios

3 DICAS RÁPIDAS SOBRE LER RÓTULOS

Você já deve ter me visto falando sobre ler rótulos e a sua importância. Mas, afinal, o que nós devemos nos atentar ao ler um rótulo? Separei 3 dicas rápidas;)

1º: LEIA OS INGREDIENTES:

 Fique atento aos ingredientes, quanto menos tiver, melhor. Isso significa que primeiro você deve buscar alimentos que são seu próprio ingrediente, que não há rótulos, como por exemplo, o fruto do tomate. Caso não seja possível, procure o produto que liste a menor quantidade de ingredientes possível.

 

Tomate e molho de tomate

No exemplo da foto, podemos notar que um simples molho de tomate levou: açúcar, amido, óleo vegetal e realçador de sabor glutamato monossódico. Vários ingredientes que não fazem bem para sua saúde e prejudicam o seu emagrecimento.

Mas e quando você não sabe o que significa algum ingrediente? Significa que você tem que correr desse produto! Tem grandes chances de ser açúcar com outro nome.

 

2º A ORDEM DOS INGREDIENTES É IMPORTANTE:

 

Os ingredientes são listados em ordem decrescente, ou seja, o primeiro é o que contém mais e assim por diante. Note:

Tlabete 70%

Tablete de chocolate 70% cacau

INGREDIENTES : Pasta de cacau, açúcar, leite em pó integral, manteiga de cacau, emulsificante lecitina de soja e aromatizante.

Tablete de chocolate amargo

Chocolate Amargo

INGREDIENTES : Açúcar, pasta de cacau, leite em pó integral, castanha-de-caju, manteiga de cacau, emulsificante lecitina de soja e aromatizante.

Percebeu a diferença??

 

3º OLHE A TABELA NUTRICIONAL:

Após as duas verificações é que você vai verificar a tabela nutricional, principalmente se você está em emagrecimento. É legal ficar atento a quantidade de carboidratos que este produto possui e como verificar?

Passo 1: Olhe a tabela nutricional e verifique a quantidade de carboidratos.

Passo 2: Verifique quanto desse carboidrato é fibra. Quanto mais, melhor.

Passo 3: Diminua a quantidade de carboidratos pelo da fibra e essa será a quantidade dele “pura”.

É isso! Gostou das dicas? Comente!! Quer ler sobre algo em específico, me conta! E aproveita para seguir o blog no instagram, basta clicar aqui.

Faço LowCarb?

FAÇO LowCarb?

Quando posto um pouquinho da minha alimentação no Instagram (me siga aqui), algumas pessoas me perguntam se eu faço lowcarb.

LowCarb seria uma dieta baseada em baixo consumo de carboidratos. Mas não existe uma tabela com referência de quantidades do que é ser lowcarb.

Isso varia de profissional para profissional, e de caso para caso. Pois, lembre-se!! A principal vertente da nutrição é a individualização! Ou seja, o que funciona para mim, pode não funcionar para você.

Outro ponto é sobre a qualidade nutricional dessa estratégia. Afinal, ser lowcarb não necessariamente significa comer com qualidade. Alguns alimentos podem ser lowcarb, mas não ter qualidade nutricional. Quer um exemplo? Coca Zero.

Dito isso, vamos à pergunta que vocês me fazem: Afinal, você faz ou não faz lowcarb? A resposta é: depende. Como não existe um padrão de lowcarb, vai depender do seu ponto de referência.

Minha alimentação é baseada em comida de verdade. Vegetais, folhas, proteínas, gorduras boas e raízes. Não consumo, açúcar, farináceos e nem industrializados.

E esse é o X da questão. Ao me alimentar de forma natural,  acabo por fazer uma alimentação lowcarb comparada aos padrões atuais.

Hoje em dia, o consumo de industrializados e carboidratos de alta absorção é tão grande, que ao comer natural, acabamos lowcarb aos olhos da grande maioria.

Gostou? Não deixe de me dar seu feedback!! E, aproveita e me segue no instagram: @leticia.mcf.

Por fim,  uma dica para você que leu até o final: Leia o blog do Dr. Souto a respeito de um recente ensaio clínico sobre lowcarb e lowfat. Neste link: aqui.

Enxaqueca: só tem quem quer – Buscando a ajuda através da ALIMENTAÇÃO

O post de hoje vai dar continuidade a um assunto considerado bastante curioso e porque não polêmico que foi introduzido em outro post. Falamos sobre como a medicina do estilo de vida, defendida pelo Dr. Alexandre Feldman, pode curar a enxaqueca. O médico defende três pilares da mudança de hábito, dentre eles: a alimentação, que irei detalhar neste post.

 

Você já ouviu dizer ou já leu em algum lugar que “A maior farmácia do mundo está muito mais perto do que pensamos, está em nossa própria cozinha.”?

 

Veremos neste post como a alimentação pode ser a nossa aliada para o fim desse incômodo que atormenta uma grande parte da população. Mudar a alimentação é um enorme passo para evitar o aparecimento ou a piora da enxaqueca. Uma das chaves é o bom senso. Nada em excesso vai te fazer bem, mesmo aqueles com ingredientes saudáveis.

 

Segundo o Dr. Alexandre Feldman, os enxaquecosos devem consumir e evitar alguns alimentos. Confira algumas sugestões:

 

Alimentos que devem ser consumidos:

– Carnes;

– Aves;

– Ovos;

– Manteiga (NÃO É MARGARINA, É MANTEIGA – é ideal para cozinhar);

– Óleo de Coco;

– Azeite;

– Frutos do mar;

– Verduras;

– Legumes;

– Frutas frescas;

– Sal não refinado.

 

Alimentos que devem ser evitados:

 

– Leite de vaca processado industrialmente. (Ou você achou que aquele leite de caixinha com meses de validade era leite mesmo?)

– Bebidas energéticas;

– Refrigerantes de todos os tipos;

– Açúcar de todos os tipos, inclusive frutose e xarope de frutose de milho;

– Sucos de frutas, até mesmo os naturais, de frutas espremidas na hora, devido à quantidade de açúcar que eles concentram;

– Bebidas alcoólicas;

– Pães, mesmo os integrais;

– Massas;

– Batatas;

– Farináceos;

– Amido;

– Óleos vegetais (de milho, de soja, girassol, canola, algodão) ;

– Margarina, com ou sem gordura trans;

– Glutamato monosódico – presente em vários pacotinhos – LEIA RÓTULOS.

 

Calma, não se desespere! A lista completa com a relação desses alimentos que podem solucionar o problema com a enxaqueca ou que pode torná-la sua companheira, você encontra no livro “Enxaqueca – só tem quem quer”. Vale a pena a leitura.

 

Aí você fica se perguntando: O que fazer e como fazer para mudar os meus hábitos alimentares, certo? Entenda que a maioria das pessoas é viciada nesse tipo de alimentação, por isso o inicio da mudança não é fácil. O corpo vai sentir uma espécie de abstinência, mas depois se habitua.

 

E por que evitar os doces, pães, massas, farináceos, amido e álcool?

 

Segundo Dr. Alexandre Feldman, quando ingerimos alimentos demasiadamente concentrados em açúcar e de rápida digestão, todo esse açúcar é absorvido e transferido quase de uma vez, para o nosso sangue.

 

Em resposta a esse aumento repentino e demasiado da concentração e açúcar no sangue, nosso organismo produz quantidades elevadas de um hormônio, a insulina, graças à qual o excesso de açúcar é levado do sangue para dentro das células de nosso corpo, onde é armazenado sob diversas formas, inclusive a de gordura.

 

Mas esse pico de insulina, além da função acima, também propicia um aumento da serotonina no nosso organismo. Isso ocorre porque a insulina favorece a transformação de um aminoácido de ocorrência comum na nossa alimentação, o triptofano, em serotonina.

 

É por esse motivo que você já deve ter lido, em alguma revista ou site que comer doce ou chocolate aumenta, temporariamente, os níveis de serotonina.

 

De acordo com a Teoria do Dr. Alexandre Feldman, tanta exposição à serotonina provocaria um “ensurdecimento”, uma resistência de alguns receptores de serotonina. Na prática, tal resistência se traduz em sintomas de falta de serotonina, como, por exemplo, as dores de cabeça.

 

Afastar-se dos carboidratos refinados e bebidas alcoólicas (o álcool transforma-se muito rapidamente em açúcar no nosso organismo), diminui os picos de insulina e, consequentemente as quantidades excessivas de serotonina. Essa ação, somada a outras mudanças no estilo de vida, pode diminuir os níveis de serotonina, para que, após algum tempo, a sensibilidade dos receptores de serotonina se reajuste e normalize, podendo melhorar a enxaqueca.

 

E você, sofre de enxaqueca ou conhece alguém com este tipo de problema? Como você faz para contornar a situação? Escreva para gente nos comentários! Compartilhe este post para alguém que precise dessas informações!

Aproveita para me seguir pelo Instagram e ficar por dentro de tudo que eu posto!

Bolinho de caneca

IMG-9880
Bolinho de caneca

Este bolo de caneca é uma ótima opção de lanche prático e para enganar aquela vontade de doce.

Bolinho de banana com chocolate 70% cacau:

Ingredientes:

Uma colher de farinha de amêndoas;

Um ovo inteiro;

Uma colher de manteiga;

Uma banana madura;

20g de chocolate 70%;

Uma pitada de fermento.

Modo de fazer:

Amasse a banana e misture com o restante dos ingredientes dentro de uma caneca tamanho médio para grande. Leve ao micro-ondas por 2 minutos (em média – a depender da potência do seu micro-ondas)  e pronto!

Se quiser pode adicionar um morangos, como na foto, para tornar o lanche ainda mais gostoso.

.

.

Aproveite para conhecer meu instagram: Leticia.mcf